Por traz da cara de sonso do Pait...


Eu não gosto de gente que rebaixa o Pait por não ter todas os comandos de um Photoshop, por 
exemplo. Mas quando sua internet cai é ele que está lá pra tirar você do tédio e é que está sempre disposto a receber um print... (eu mesma acho mais pratico usar o paint pra salvar um print do que esperar o photoscape carregar). Ele não é apenas sua fabrica de casinhas com qualidade ruim e sois sorridentes XD.
Quando eu gostava muito do anime Naruto, costumava fazer rpc (que são novos personagens criados com base no personagem original) se você pesquisar no google (rpc naruto) talvez ache, enfim... Eu usava o Paint pra fazer meus desenhos, ele foi o primeiro programa que usei pra praticar minha criatividade.

Qual o meu estilo?

A foto não é preto e branco, é só um efeito... Passe o mouse.

Não é um teste de personalidade, só o título que parece. Então, estilo é uma coisa bem pessoal e é formado por fases, às vezes você gosta de boho, outras de rock e outras de tudo misturado. Eu era muito preocupada com isso, porque achava que não tinha estilo (besteira minha), mas o que eu não sabia mesmo era me sentir bem com o que vestia, ficava meia hora escolhendo uma roupa, pra depois desistir de sair. Eu quis trazer dicas que me ajudaram a me vestir melhor... 
Não vou perguntar que banda você gosta ou se prefere ler a assistir o filme pra definir seu estilo. Esse post não é bem sobre isso, é mais pra saber fazer combinações com as suas roupas de acordo com sua preferencia, vamos lá....

#Dica1: Lookbook, ele mudou minha vida (frase de propaganda da activia --‘). Foi com esse site que eu aprendi a montar meus looks, pois tinha várias roupas e não sabia fazer combinações e sobreposições, hoje me visto rapidinho. Eu aconselho você a salvar no computador imagens que tenham peças parecidas com as que você tem em casa, assim fica mais fácil de montar seu look. 

#Dica2: Conheça seu guarda-roupa. Recentemente eu me mudei e tive que tirar todas as roupas dele, e quando as pus de volta, organizei e doei as que eu não usava mais (as que não usaria nem se virasse moda, outras que não cabiam mais. Não sou de doar roupas que não há x meses) . As roupas ficaram menos abarrotadas e mais visíveis, agora eu sei onde e quais são as roupas que tenho. Sei que dá uma preguiça de morte! Mas vale a pena.

#Dica3: Prévia. As vezes, quando não tenho o que fazer em casa, eu abro meu guarda-roupa e vou vestindo o que vem na cabeça, aproveito e olho alguns looks no Lookbook, tiro foto e guardo, pra quando eu precisar sair pra qualquer ocasião eu já ter algumas opções prontas com minhas roupas.

Recomeço...


Já pensei em vários nomes, ideias diferente e nenhuma me agradou. A que eu mais gostei foi de recomeçar, literalmente. Apaguei "todas"(nem todas, tem algumas que eu considerei e mantive) as postagens antigas do blog, que eram legais, mas não era o que eu gostava, eu só postava pensando no titulo que as pessoas pesquisariam, para ter mais visualizações. Na verdade,(resumindo o que você não quer ler) eu comecei o blog pelos motivos errados...
E agora que tenho noção das coisas (porque no inicio eu não sabia nem o que era plágio) vou fazer um blog mais legalzinho pra mim.
Não quis mudar o nome, porque ele abrange tudo e eu sou uma pessoa eclética, só mudaria se fosse por Bagunçada (que seria perfeito, mas já existe). Então, bem vindo ao Tendência & Variedades 2.0 mais informações...
Não liga pro lixão é que ainda estou dando uns ajustes.

Xero na testa!

Resenha: O Pequeno Principe

Esse ano eu disse que esse seria O Ano da Mudança e umas das primeiras coisas que aconteceu comigo foi mudar de casa, pois é destino, não era pra ter levado tão a sério. Bem, nunca fui de ler muito, sempre odiei ler livros ou qualquer coisa do gênero, até postagens de outros blogs eu tinha preguiça de ler. E isso também mudou esse ano.
No dia 1º de janeiro, li O Pequeno Príncipe, e recentemente o li novamente em uma versão mini que comprei em uma feira da minha cidade. Esse é um livro para lê várias vezes e em todas as vezes você chora. Parece ser um livro infantil, mas é repleto de metáforas sutis.

Autor: Antoine De Saint-Eupéry
Publicado em 1943  

Resenha
O livro conta a história de um piloto, inicialmente em sua infância, quando desenhou uma jiboia digerindo um elefante. Ao mostrar aos adultos, eles não entenderam o que o desenho representava, afirmando que era um chapéu, logo, ele desenhou novamente a imagem; uma jiboia e um elefante dentro de sua barriga.
Afirmando ele: "As pessoas grandes não compreendem nada sozinhas, e é cansativo, para as crianças, estar toda hora explicando". Sendo, então, desencorajado a continuar desenhando, o que o levou a se tornar um piloto. A historia inicia quando ele fica preso no deserto por causa de uma falha técnica que acaba tendo que fazer um pouso forçado, lá o piloto conhece um menino muito curioso e persistente que o pede que faça o desenho de um carneiro, na tentativa de conceder o pedido ele falha, várias vezes, até que cansa e lhe desenha uma caixa afirmando que lá dentro há um carneiro, isso deixa o menino super feliz. De repente o garoto começa a fazer várias perguntas que ao olhos dos adultos são banais e inúteis, mas para o principezinho é um valor inexplicável. 
O livro é narrado na primeira pessoa, o piloto é o autor quando adulto e o príncipe é o mesmo quando criança. A maior parte da historia conta a viagem do principezinho pelos planetas e tudo o que ele conheceu na trajetória até chegar à Terra e encontrar com o piloto. 
Nesses planetas ele conheceu primeiro o rei, que acredita que todos são seus súditos e nos ensina que cada um só pode dar o que tem para oferecer.No segundo um vaidoso que só ouvia elogios. Ele nos mostra que não precisamos de ninguém para nos auto-afirmar. O terceiro por um bêbado que tenta escapar da sua realidade por meio do vício. Onde nos passa um alerta sobre todos os vícios.No quarto um homem de negócios que passa tanto tempo contando o que acumulou que não tem tempo de desfrutar a vida. O príncipe mostra que isto também é um vício.No quinto um acendedor de lampiões, um bom homem que cumpre o seu dever mas esquece de questionar as ordens e assim não chega a lugar nenhum. No sexto um geógrafo que sabe toda a teoria, mas não aplica seus conhecimentos. Todos os seres trazem com eles uma metáfora, quem seriam os habitantes desses planetas, na vida real?
O principezinho é um livro profundo, só em aparência é um conto para crianças. É a história de um menino escrita para adultos ou, se quiser voltar atrás, uma volta à infância, esse grande território de onde cada um saiu. Todos os adultos foram primeiro crianças, mas poucos o recordam.

É pra se apaixonar, tem tantas frases simples, mas verdadeiras:
"A linguagem é uma fonte para mal-entendidos."
"Quando a gente quer fazer graça, mente às vezes um pouco."
"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos."
"A gente só conhece bem as coisas que cativou - disse a raposa.
- Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma.
Compram tudo já pronto nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos,
os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me!"
"É preciso que eu suporte duas ou três larvas se quiser conhecer as borboletas. Dizem que são tão belas.”

Bem, ficou maior do que imaginava, espero que goste!
Beijo na testa!